Os pingos de chuva




Estava muito quente daquele dia, as flores do jardim não sabiam mais o que fazer para se protegerem daquele sol incrivelmente forte, muitos passarinhos tentavam ajuda-las levando em seus bicos pequenas gotas de água para tentar saciar a sede que elas sentiam, mas não estava adiantando muito, as podres florezinhas, de uma em uma iam desmaiando de sede, de calor e de falta de sombra.

- O que podemos fazer para ajuda-las?  - Perguntou o beija-flor.

- Tudo o que estava ao nosso alcance fizemos, nossos pequenos demais para trazer água suficiente para saciar a sede das flores. – Falou a borboleta.

- Mas temos que fazer mais, elas vão morrer de não beberem água! Vamos agora mesmo falar com o sol. – Falou o beija-flor.

- Falar com o sol? Ninguém fala com o sol! – Disse a borboleta.

- Mas nós iremos agora mesmo.

O beija-flor voou o mais rápido que pôde em direção ao sol e a borboleta seguiu atrás dele.

- Sol, sol! – Gritou o beija-flor.

- Quem me chama?  - Respondeu o sol.

- Somos nós, o beija-flor e a borboleta. Queríamos te pedir um favorzinho...

- Que favorzinho seria esse?

- Precisamos que você não aqueça tanto a terra, nossas amigas flores estão muito secas por sua causa.

- Ôh pequeno beija-flor, muito bonito da sua parte vim até aqui pedir minha ajuda para salvar suas amigas flores, mas nada posso fazer, vá procurar as nuvens, quem sabe elas podem te ajudar.

O beija-flor e a borboleta se despediram do sol e foram atrás de alguma nuvem pelo céu, mas estava muito difícil, o céu estava lindamente azul sem nenhuma nuvenzinha branca.

- Beija- flor, falou a borboleta, vi logo cedo umas nuvens se formando no céu, se voarmos mais um pouco, acho que podemos encontrá-las.

E eles voaram, voaram muito pelo céu... até que encontraram muito longe do jardim das flores umas nuvens um pouco cinzas.

- Olá nuvens, falou o beija-flor, precisamos da ajuda de vocês.

- Em que podemos lhes ajudar? - Falaram as nuvens.

- Em um jardim, não muito longe daqui, existem lindas flores que estão morrendo de sede e calor por conta do sol forte que esta fazendo por lá, já fomos pedir para o sol nos ajudar, mas ele falou que não poderia fazer nada e que nós procurássemos vocês.

- Pequeno beija-flor e pequena borboleta muito bonita a atitude de vocês tentando ajudar as lindas flores do jardim. Estávamos nos preparando para chover aqui neste lugar, mas vocês chegaram mesmo na hora em que nossas primeiras gotas iriam cair.

- Será que essas gotinhas de chuva não poderiam cair bem em cima do nosso jardim? – Perguntou a borboleta.

As nuvens se entreolharam e falaram:

- Ótima ideia borboleta!

O beija-flor e a borboleta estavam felizes demais, saíram voando radiantes e as nuvens o seguiam logo atrás. Ao chegarem ao jardim, ficaram desesperados, pois todas as flores estavam murchas, caídas e quase sem vida.

As nuvens não pensaram duas vezes e começaram a deixar cair os primeiros pingos de chuva naquele jardim, sobre as belas flores. Assim que os pingos caiam sobre as flores, elas iam criando forças, reagindo, levantando e voltando ao normal. O beija-flor e a borboleta deram um grande abraço de alegria.

- Suas lindas flores voltaram ao normal, mas lembrem-se que elas precisam receber água todos os dias. – Falaram as nuvens.

- Mas com esse sol fortíssimo é muito complicado elas receberam água todos os dias. – Falou a borboleta.

- Não reclame do sol amiga borboleta, ele é muito importante também para a formação da chuva.

- Mas como? – Perguntaram os dois de uma só vez.

- A água que fica na terra, quando é aquecida pelo sol, evapora e se transforma em vapor de água, este vapor de água se mistura com o ar e, como é mais leve, começa a subir, formando nuvens como nós, e quando ficamos pesadas demais desse vapor de água, essa água acaba caindo formando a chuva.

- Então foi por isso que o sol pediu para irmos atrás de vocês.

- Claro que sim, o sol é muito esperto!

- Na natureza tudo tem um por que, e isso é fantástico! – Falou a borboleta.

- Claro que sim borboleta, cada coisinha na terra foi planejada perfeitamente pelo Grande Criador, Ele pensou em tudo, por isso, devemos amar o sol, a chuva, o calor, o frio, tudo tem um por que. – Falaram as nuvens.

- Agora que sabemos como a chuva se forma, iremos ficar sempre de olho em nuvens como vocês pelo céu e pedir para sempre que possível deixar algumas gotinhas de chuva aqui, em nosso jardim. – Falou o Beija-flor.

As florzinhas que estavam radiantes, felizes, belas e cheirosas como nunca começam a cantar uma linda canção e todos no jardim agradeceram por mais um dia de sol, de chuva, pela natureza e por fazerem parte deste universo maravilhoso chamado terra.

- Não sabemos o que seria de nós sem a ajuda de vocês queridos amigos beija-flor e borboleta. – Falaram as flores.

- Não precisa agradecer flores, faríamos tudo novamente se preciso fosse, devemos sempre ajudar uns aos outros. – Falou o beija-flor.

- Verdade, ajudar sempre! – Falou a borboleta.


E aquele não foi um dia como outro qualquer naquele jardim, foi um dia repleto de ensinamento, alegria, solidariedade, amizade e principalmente muito amor. E que dias assim, sempre possam existir pelos jardins da vida!

Autora Minéia Pacheco




ATENÇÃO

Tenho recebido vários e-mails diários com solicitações de contos, desculpem, mas não estou conseguindo respondê-los e nem enviá-los. Meu tempo anda muito curto desde que minha filha nasceu. Por esse motivo, temporariamente não estarei enviando-os.


Agradeço a compreensão!


Minéia Pacheco


Nasceu a linda rosa!


Num certo jardim todas as flores estavam eufóricas com o nascimento da rosa que ali ria habitar. A agitação das demais flores tinha um motivo, pois aquela rosa que logo nasceria não era uma rosa qualquer, ela era especial, muito especial... e todos esperavam por ela há tempos!

O jardim era lindo, repleto das mais belas flores e lá elas viviam felizes. Os pássaros voando a cantar, as borboletas de diversas cores sempre passam por lá, abelhas e caracóis também fizeram morada naquele jardim especial. Mas, no momento, o único assunto entre os habitantes daquele jardim, era sobre o nascimento da linda rosa que em breve aconteceria. A rosa era bem especial, pois naquele jardim existiam flores diversas, mas nenhuma rosa, ela seria a primeira e todos contavam as horas para enfim vê-la brotar ali. As demais flores falavam entre si eufóricas:

- Nossa, essa rosa deve ser muito linda!

- Ela vai deixar nosso jardim bem mais encantador.

- Sempre sonhei em ver uma rosa por aqui, que maravilha!

                Todo dia, assim que amanhecia, os moradores do jardim olhavam primeiramente para o botão da rosa esperando que enfim ela tivesse florescido, ficavam um pouco decepcionados ao perceberem que ainda não havia chegado o grande dia, mas a espera era deliciosa, no momento certo ela nasceria, disso eles tinham certeza!

                Então, em um belo dia de sol, quando as nuvens branquinhas brilhavam no céu, a rosa floresceu, a rosa nasceu e seu perfume invadiu o jardim, a sua beleza encantou a todos e suas belas pétalas viraram pouso de lindas borboletas, a rosa enfim nasceu!

                - Como és bela!

                - Como és linda!

                - Que perfume maravilhoso você exala!

                Todos, sem exceção, elogiaram a rosa e ela se sentiu feliz em ter nascido naquele jardim repleto de lindas flores e de tanto amor. Até o sol ficou radiante ao ver que a rosa tinha nascido e como presente lhe enviou lindos raios brilhantes em sua direção, fazendo com que sua beleza se tornasse ainda mais perfeita.

                E naquele jardim nada mais faltava, a rosa chegou para completar aquele lugar. Ela foi muita amada, foi muito esperada e fez amizade com todos.

                E muitos pensavam que as demais flores iriam perder seus encantos, mas não, cada flor daquele jardim era especial e tinha um jeito único de ser e de tornar aquele jardim o mais especial de todos os jardins!


Autora Minéia Pacheco


Olá queridos amigos, 

É com este lindo conto que retorno a este espaço tão especial para mim. Assim como esta linda rosa que nasceu no conto acima publicado, por aqui também nasceu uma bela rosinha, e foi ela o motivo da minha ausência durante este tempo.

Estou vivendo um maravilhoso mundo rosa!



Minha família agora esta completa!
Minha Beatriz completou 4 meses e para ela todo nosso amor!


Estou voltando... Estava com saudades!

Lindos contos recheados de sonhos para todos vocês!

...Beijos...

Mamãe quero ter um irmãozinho!




Bento sempre quis ter um irmãozinho, pedia muito a sua mamãe, mas ela sempre falava:

- Deus saberá a hora certa meu filho.

O tempo passou, Bento foi crescendo e sua vontade de ter um irmãozinho só aumentando, ele queria muito ter alguém com quem pudesse brincar, abraçar, queria um irmãozinho para amar. A maioria dos seus amigos tinham irmãos e porque só ele não tinha?

- Mamãe preciso muito de um irmãozinho, quando ele vai chegar?

A mamãe também queria muito ter mais um filho, queria muito ter mais um ser para amar sem medidas, para encher de beijinhos e trazer mais alegria para aquele lar já tão feliz, mas nem tudo acontece como a gente quer, tudo é no tempo de Deus.

- Você já pediu ao papai do céu um irmãozinho? – Perguntou a mãe a Bento.

- Não! – Ele respondeu.

- Pois peça meu filho, Deus gosta muito de ouvir as orações das crianças, Ele fica muito feliz e pensa com muito carinho nos pedidos que as crianças fazem a Ele.

- Pois esta noite irei pedir a Deus com muito carinho um irmãozinho para mim.

Quando a noite chegou... Já em seu quarto, Bento sentou na cama, rezou com muito carinho e com toda força em seu coração pediu que Deus o enviasse o irmãozinho e depois de rezar, adormeceu.

Passaram-se alguns meses, Bento já nem falava mais em ter um irmão, pensava que este dia nunca iria chegar, mas numa certa noite, quando estavam reunidos na mesa na hora do jantar, seu pai e sua mãe lhe deram a melhor notícia de sua vida:

- Bento, você vai ganhar um irmãozinho!

Bento ficou muito feliz, pois seu tão desejado irmãozinho iria chegar, alguém com quem ele pudesse brincar, dividir seus brinquedos e principalmente alguém que ele iria amar demais.

E quando os pais perguntavam:

- Bento você quer ter um irmãozinho ou irmãzinha?

Ele sempre falava:

- Ah mamãe e papai, Deus que escolhe, o importante é que enfim vou ganhar um irmãozinho!

E aqueles foram dias felizes, Bento já não se sentia sozinho, pois seu irmãozinho ou irmãzinha já estava a caminho...



Autora: Minéia Pacheco




O motivo da minha ausência nesses 2 meses e meio foi o que inspirou o conto de hoje.

Estou grávida e muito feliz!

Completando hoje 15 Semanas!


E assim como o Bento do conto, o Bruninho aí está no céu, pois vai ganhar o tão sonhado irmãozinho ou irmãzinha!

Aos pouquinhos irei voltando ao normal com as postagens no blog!

Beijos em todos!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Contos para criança ler, ouvir e sonhar! © Desenvolvido por Elaine Gaspareto