Era para ser um dia perfeito, mas choveu!


Fonte da Imagem AQUI


Lara esperava há muito tempo pelo dia em que iria desfilar na rua onde morava. Todo ano, no mês de julho, aconteciam desfiles em sua rua, ela nunca participou, pois não tinha idade, mas este ano seria diferente, enfim poderia participar e aquele seu primeiro desfile teria que ser perfeito.

- Mamãe, mamãe, estou muito ansiosa! – Falou Lara.

- Se acalme minha filha, não precisa ficar assim.

- Mas mamãe, a senhora é testemunha do quanto sonhei com o dia em que enfim iria desfilar em nossa rua, este dia tem que ser PERFEITO!

- Claro que sei o quanto você sonhou com o dia de hoje, se acalme, tudo será perfeito.

- Tomara mamãe, tomara...

O dia foi passando e Lara não conseguiu descansar nem um minutinho, passou todo o dia só pensando na hora do desfile e desejando que fosse um dia perfeito.

- Vamos Lara, esta na hora de se arrumar, o desfile logo irá começar.

- Que alegria!!! Estou indo mamãe.

Lara se arrumou e ficou linda, uma bela menina, saiu com sua mãe e ao colocar um pé na rua sentiu pingos de chuva e gritou:

- Não acreditooooo, vai chover!!!

- Calma Lara, não precisa ficar assim...

- A senhora não entende mamãe, hoje era para ser um dia perfeito, mas não será, pois vai chover!

- E quem disse que a chuva causa imperfeição?

- Eu mamãe, eu disse, claro que causa. Como poderei desfilar em baixo da chuva? Como?

- Minha filha, sol e chuva são bênçãos de Deus e ambos têm que ser recebidos com muito entusiasmo.

- Mas foi chover logo agora, passou o dia todo com um lindo céu azul e logo agora, na hora do desfile, toda essa chuva...

E Lara começou a chorar.

- Larinha, falou a mãe, não deixe que nada tire a sua alegria pelo dia de hoje, o dia que você tanto esperou. Você vai brilhar seja na chuva, ou no sol. Sorria, erga a cabeça e vamos desfilar.

Lara se sentiu muito feliz e motivada com tudo que a mãe falou, enxugou as lágrimas, ergueu a cabeça e foi ao tão sonhado desfile. Desfilou brilhantemente na forte chuva, pois naquele momento a chuva não mais a preocupava... Nada mais poderia atrapalhar e tirar seu brilho no tão sonhado desfile.

- Filha como você estava linda desfilando.

- Mamãe estou tão feliz, realmente nada, nem a chuva, atrapalhou meu dia hoje, ele foi perfeito!

- Que bom filha, estou tão orgulhosa de você.

- Obrigada mamãe, orgulho tenho eu de ter uma mãe maravilhosa como a senhora.

E abraçadas entraram em casa, aquele foi um dia perfeito e felizes elas foram dormir.


Não deixe que nada tire a alegria de fazer você brilhar, sempre!



Autora: Minéia Pacheco

O sapinho Lipi!



Lipi era um sapinho de muita sorte, vivia em um belo lago com seus pais, irmãos e amigos. Ele era muito querido por todos!

Mas certo dia Lipi acordou um pouco triste e seu melhor amigo, o sapo José, percebeu sua tristeza e perguntou:

- Lipi, por que estás tão triste hoje?

- Sabe João, tenho tudo que toda sapinho sonha em ter, mas hoje isso não mais me alegra, quero conhecer outros lugares, outros sapos, as coisas aqui já não me fazem mais feliz!

- Mas Lipi, você vive em um lago que é o mais lindo de toda região com águas cristalinas, sem poluição. Você tem uma família linda que faz tudo por você, e amigos que te amam de verdade, o que mais pode te faltar?

- Não sei, mas algo me falta e eu vou procurar! Não conte a ninguém, mas hoje quando a noite chegar e todos forem dormir eu irei fugir e descobrir onde está a verdadeira felicidade.

- Não faça isso, você vai se arrepender!

- Não vou não...

E assim fez o sapinho Lipi, quando todos estavam dormindo, ele saiu de fininho e foi a procura da felicidade... Andou várias horas, já cansado resolveu parar, encontrou um pequeno lago e resolveu lá descansar, sentiu um cheirinho ruim, mas estava tão cansado que nem ligou.

O dia amanheceu e Lipi acordou, percebeu que o lago em que adormeceu estava cheio de lixo e por isso o mal cheiro, era um lago poluído.

Mas não se preocupou, andou durante todo o dia e quando já estava anoitecendo encontrou outro lago e nele percebeu que tinham alguns sapinhos, tentou conversar com eles, mas não quiseram saber de nenhum sapo novo no lago deles e o mandaram sair ligeiro de lá.

Lipi pensou em seus amigos, o quanto eles elas solidários com sapos novos que chegavam no lago, esses que ele havia encontrado eram muito mal educados.

Andou um bom tempo, já estava muito escuro e encontrou outro lago,  a água desse também tinha um cheiro ruim e pensou:

- Nossa, não encontro lago com águas tão limpas como o da minha casa.

Acordou cedo e continuou caminhando, já estava cansado, se sentindo só, encontrou outros sapos, mas nenhum quis fazer amizade com ele, encontrou outros lagos e nenhum chegava nem perto do que ele tinha deixado para trás e quando já havia se passado quase um mês que havia fugido de casa, parou e pensou:

- Fugi de casa para encontrar a felicidade, para encontrar coisas melhores do que eu tinha, mas não consegui. Nada se compara as coisas que deixei para trás, só agora percebo que minha verdadeira felicidade está lá, ao lado da minha família, dos meus irmãos, dos meus amigos e do meu lago limpinho. Vou voltar agora mesmo para meu lar.

Lipi saiu pulando de alegria, enfim descobriu onde se encontrava sua verdadeira felicidade.

Já havia passado quase dois meses desde que Lipi tinha fugido e quando ele chegou todos receberam ele com muitos abraços, beijos e alegria.

- Aprendi uma grande lição durante este tempo que estive fora de casa,  muitas vezes só passamos a dar valor quando perdendo algo, tive que passar dois meses fora, sofrendo, sendo ignorado para descobrir que minha verdadeira felicidade está aqui, com vocês! Nunca mais quero fugir, nunca mais sairei daqui!

E seus pais, irmãos e amigos lhe deram um forte abraço e todos juntos pularam do lago, aquele seria um dia de muita diversão e não teria hora para terminar, pois Lipi havia voltado para nunca mais fugir!



Autora: Minéia Pacheco

A copa do mundo é nossa!


- E a copa será especial, pois será aqui em nosso país, em nosso Brasil.

- Verdade Léo, não vejo a hora dela começar, estou super ansiosa para ver nossa seleção entrando em campo.

- Quero gritar bem alto cada gol que a nossa seleção fizer Maria, vai ser muito legal. Neste primeiro jogo iremos a casa dos meus avós nos reunir com meus tios e primos e você? Irá a algum lugar?

- Vou sim Léo, iremos a casa do meu tio Bernardo, ele é super divertido e sabe muito bem fazer uma boa festa.

Carlinhos se aproxima...

- Oi amigos, de quê vocês estão falando?

- Estamos falando sobre a copa que esta bem pertinho de começar. Onde você vai assistir esse primeiro jogo? – Perguntou Léo.

E Carlinhos meio triste fala.

- Meus pais falaram que não temos nada para comemorar e não querem nem ouvir falar a palavra copa em casa.

- Que chato Carlinhos. Toda criança deveria poder se divertir e comemorar a copa. – Falou Maria.

- Também acho, mas meus pais não pensam assim.

- Poderíamos ir lá falar com eles, nós não temos culpa das coisas que andam acontecendo no Brasil, nós precisamos no divertir e aproveitar essa copa aqui em nosso país. – Falou Léo.

- Vocês fariam isso por mim? – Perguntou Carlinhos feliz.

- Claro que sim! – Falaram Léo e Maria de uma só vez.

Ao chegarem à casa de Carlinhos, Maria e Léo foram falar com seus pais.

- Olá, poderíamos falar com vocês? – Perguntou Léo.

- Claro que sim, o que vocês querem crianças? – Falou a mãe de Carlinhos.

- Queremos falar com vocês sobre a copa. – Falou Maria.

- Esse assunto novamente! Aqui em nossa casa não queremos ouvir nada sobre isso. – Falou o pai com muita raiva.

- Calma senhor, que culpa nós crianças temos das coisas que andam acontecendo no Brasil? – Falou Maria.

- Nenhuma. – Falou o pai.

- Tudo que nós queremos é poder nos divertir, festejar e vibrar, que mal há? – Perguntou Maria.

- Mas nós não podemos aceitar tudo o que perdemos com essa copa aqui no Brasil. – Falou a mãe.

- O Brasil está ruim há muito tempo, muito antes da copa chegar aqui, concordam? – Perguntou Léo.

Os pais ficaram pensativos e falaram:

- É verdade.

- Então vamos deixar todo rancor de lado e torcer, torcer pelo nosso Brasil, pelo nosso país, todos juntos somos mais fortes e em outubro vocês depositam toda a raiva nas urnas. – Falou Maria.

- Sabem crianças, confesso que estava aqui doido para encontrar uma saída para me libertar dessa mágoa e vocês com o coração puro que só uma criança sabe ter, me trouxeram o que tanto queria. Agora posso torcer com toda garra pelo meu país, pelo meu BRASIL! – Falou o pai.

- Ótimo, vou agora mesmo enfeitar toda casa. – Falou a mãe.

- Vou te ajudar mamãe. – Falou Carlinhos entusiasmado.

E Léo e Maria juntos gritaram:

- Êbaaaaaaa!!!

Mas quem estava ainda mais feliz era Carlinhos, que enfim poderia vibrar, torcer e gritar VIVA BRASIL!


Toda criança tem o direito de vibrar pelo seu país e pai nenhum tem o direito de tirar isso dela!

Feliz Copa para Você!


Minéia Pacheco
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Contos para criança ler, ouvir e sonhar! © Desenvolvido por Elaine Gaspareto