O Burrinho Preguiçoso!


(Fonte das imagens: Google!)

O Burrinho Preguiçoso!

O burrinho Zé Manel não gostava de trabalho pesado, quando lhe mandavam realizar alguma tarefa sempre ficava mal humorado e de cara feia. Era muito preguiçoso e só queria saber de ficar deitado!

Certo dia o fazendeiro ordenou que Zé Manel levasse uma encomenda para a fazenda do outro lado da ponte, ele não gostou nada da ideia e reclamou muito, fingiu que estava doente, porém o fazendeiro já sabia da fama de preguiçoso que ele tinha e não deu atenção as suas reclamações e ainda falou que a entrega era para ser feita imediatamente, o burrinho não teve outra alternativa, a não ser ir logo!

A cada passo que dava, parava para descansar, e o trajeto que poderia ser realizado em poucas horas, já havia passado quase um dia inteiro!

Anoiteceu e Zé Manel resolveu dormir e seguir só no outro dia pela manhã, não gostava de trabalhar durante o dia e muito menos a noite. Encostou-se em uma árvore e adormeceu. Na manhã seguinte ao acordar, ele procurou algo para comer e nada encontrou, ficou nervoso e pensou:

- Como irei entregar essa encomenda de barriga vazia?

Levantou-se, deu alguns passos e caiu em um buraco machucando sua pata...



Ele não acreditou no que estava acontecendo, sem comida, sozinho, com a pata machucada e ainda por cima não tinha entregue a encomenda, o fazendeiro iria ficar bravo com ele e com certeza o colocaria para fora e não teria mais lugar para morar.

Uma coruja no alto de uma árvore observava tudo e falou:

- Se você fosse menos preguiçoso já teria entregue essa encomenda e já estaria na sua tão querida fazenda. O trajeto da fazenda até o local que você teria que entregar só duraria umas duas horas para ir e voltar, porém sua preguiça é tão grande que já vai passando um dia inteiro e nada de você sair do lugar.

Zé Manel falou:

- E agora que não saiu mesmo, pois machuquei a pata!

- Homem nenhum gosta de bicho preguiçoso, tome cuidado, mude seu jeito de ser ou então, em breve você será mais um sem moradia.

A coruja foi embora e deixou Zé Manel sozinho:

- Essa coruja tem razão, (ele pensou) não posso ter tanta preguiça, tenho um bom lar e não quero perdê-lo nunca!

Levantou-se, mesmo mancando foi até o outro lado da ponte para entregar a encomenda, voltou pelo mesmo caminho e andou o mais rápido que podia, sua pata doía muito, porém ele não desanimou e não parou.

Chegando à fazenda o fazendeiro já estava preocupado e quando o viu chegando foi ao seu encontro, iria reclamar pela demora para voltar para casa, mas quando ele o viu mancando, ficou muito arrependido por ter pensado coisas erradas ao seu respeito, o ajudou a andar e ligou para o veterinário vê-lo.

Daquele dia em diante, Zé Manel deixou de ser um burrinho preguiçoso, sempre ajudava nas tarefas da fazenda e nunca mais havia reclamado de nada. Aprendeu a dar valor a vida que tinha e percebeu que a preguiça devia andar bem longe da gente...

(Crianças sejam corajosas, ajudem sempre!)

Por Minéia Pacheco!

5 comentários:

  1. ola miga querida! Lindas as novidades=^.^= Passando pra oferecer meu selinho de 100seguidores! vc tb faz parte desta conquista:) bjinhos e uma linda semaninha!
    Joana Neves
    http://joana-neves.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Mineia,que docura de conto!Muito criativa a história e educativa!Adorei!Bjs,

    ResponderExcluir
  3. Oi Minéia,
    linda a história do burrinho. Ai, ai, ai, fico com vontade de imprimir as suas história e encaderná-las para poder contar várias vezes para as minhas filhas.
    beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Que amor de burrinho!Adorei!beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  5. Está na hora do livrinho...!!bjs

    ResponderExcluir

Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós.(Antoine de Saint-Exupéry)

...Agradeço a visita e o comentário!...

Volte sempre!

Beijinhos, Minéia Pacheco

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Contos para criança ler, ouvir e sonhar! © Desenvolvido por Elaine Gaspareto