• 25
    AGO

    JULHINHO, O ELEFANTE!



    (Fonte das imagens: Google!)

    Julhinho, o elefante!

    Julhinho era um alegre elefantinho que vivia em um lindo zoológico. As crianças que iam ao zoológico não saiam de lá sem vê-lo, ele sempre as recepcionava com lindas apresentações. A apresentação que deixava as crianças mais empolgadas e felizes, era quando enchia a tromba de água e jogava em cima de si mesmo, parecendo um chuveiro, era um grande sucesso!

    As crianças saiam de lá prometendo voltar no dia seguinte...

    A noite chegava e a hora dos animais dormirem também, Julhinho recebia uma enorme quantidade de amendoim, comia e ia dormir muito feliz!

    Não reclamava de nada, tinha tudo o que todo elefante queria, uma bela área no zoológico, muita comida e várias crianças que amavam visitá-lo. Era um elefante de muita sorte... Pensou!

    Perdido em seus pensamentos Julhinho dormiu. Dormiu tão profundamente que nem percebeu que o dia já havia chegado e junto com a linda manhã, um novo elefantinho veio lhe fazer companhia. Mas não era um elefantinho qualquer, era um elefante dançarino, o pequeno Oscar!



    Oscar começou a dançar e a sapatear próximo a Julhinho o acordando... Julhinho ao acordar não acreditou no que via, e falou:

    - O que você está fazendo aqui?

    - Vim morar com você!

    - Morar comigo!?

    - Sim

    - Mas não preciso de companhia, estou bem sozinho!

    - Ninguém fica bem sozinho... Todos precisam de alguém ao lado.

    - Mas eu sou feliz sozinho... Será que você pode ir embora?

    - Claro que não irei, vou ficar com você.

    - Já já as crianças irão chegar e irei fazer minhas apresentações para elas, você vai me atrapalhar.

    - Ficarei quietinho de longe a te olhar.

    Julhinho ouviu passos, eram as crianças que já haviam chegado, foi ao seu lugar para esperá-las, quando elas chegaram perceberam que havia mais um elefantinho e nem deram atenção para Julhinho. Começaram a gritar chamando Oscar, ele fingiu que não ouvia nada e continuou lá parado. As crianças ficaram chateadas e foram embora.

    Julhinho falou:

    - Te falei que você iria me atrapalhar, as crianças foram embora!

    - Não foi culpa minha.

    - Foi sim!

    - Você gostaria que elas voltassem?

    - Claro que sim!

    E então Oscar começou a dançar, dançou tanto, que chamou a atenção de todos que passavam, havia tantas pessoas se aproximando que Julhinho ficou impressionado com a quantidade que parou para ver Oscar dançar. No fim da apresentação todos o aplaudiram, tinha sido uma bela apresentação!

    - Onde você aprendeu a dançar assim? (Perguntou Julhinho)

    - No circo...

    - Você veio de um circo?

    - Sim!

    - E porque você não ficou por lá mesmo?

    - Não era feliz, não tinha outro elefante com quem conversar e aos poucos fui ficando abatido e desanimado, por isso vim parar aqui. Fui doado pelo dono do circo para esse zoológico. Quando cheguei aqui e te vi dormindo fiquei muito feliz... Enfim não iria mais ficar só! Sei que você está chateado comigo... Mas preciso muito da sua amizade!

    - No principio, fiquei realmente com muita raiva de te ver por aqui em meu espaço, mas agora estou feliz. Pois você é um elefantinho muito especial, e juntos iremos fazer lindas apresentações e agradar toda criançada.

    - Você não ficou chateado por as crianças não terem te dado muito atenção hoje?

    - Claro que não, criança gosta de novidade... Mas com o tempo elas irão perceber que quem realmente elas amam, sou eu!

    - Que bom que te encontrei!

    - Seja bem vindo e que sejamos muito felizes aqui!

    MINÉIA PACHECO!

    Avatar








    MINÉIA PACHECO
    Escritora



  • ANUNCIE AQUI




    PARA PENSAR

    Ah, como é importante para a formação de qualquer criança ouvir muitas, muitas histórias... Escutá-las é o início da aprendizagem para ser um leitor, e ser leitor é ter um caminho absolutamente infinito de descoberta e de compreensão do mundo...
    (Fanny Abramovich)





    Copiar essas ideias sem a permissão do autor é crime, pois isso configura uma forma de roubo e roubar ideias é plágio, e plágio é crime. Art. 184 – Código Penal

    © Copyright 2017 - Minéia pacheco. Todos os direitos reservados. O conteúdo deste site não pode ser reproduzido, distribuído, transmitido, ou usado, exceto com a permissão prévia por escritor.