Zezé, um palhacinho esperto!


(Fonte da imagem: Google!)



Zezé, um palhacinho esperto!

O palhacinho Zezé era alegre e sempre vivia muito feliz. Amava fazer malabarismo e as crianças ficavam fascinadas com os truques de mágica que ele sempre realizava em suas apresentações.

Esse palhacinho era muito especial, fazia de tudo um pouco para poder conseguir das crianças um largo sorriso e seu objetivo era sempre alcançado!

Certa vez Zezé foi a uma apresentação na casa de um garotinho chamado Rafael. Chegando lá ele encontrou várias crianças super agitadas e já cansadas de tantas brincadeiras, então ele falou:

- Sentem aqui crianças, vamos nos divertir com um pouco de mágica, malabarismo, e claro, com muita piada!

As crianças saíram correndo em direção a Zezé e sentaram perto dele, menos Rafael, o aniversariante, ele não gostava de palhaços, achava-os muito chatos. Não queria palhaços em sua festa, mas sua mãe havia insistido muito até que ele consentiu. Mas avisou a mãe que não iria participar de nada que ele fizesse.

O palhaço Zezé já estava sabendo de tudo, a mãe de Rafael já havia lhe contado. Não insistiu para que Rafael se juntasse a turma e começou a realizar as atividades com as demais crianças. Zezé fez de tudo um pouco, contou piadas, fez mágicas, muitas mágicas, e as crianças riam muito...

Uma vez ou outra Rafael olhava para saber do que eles tanto riam se os palhaços não tinham graça nenhuma. E voltava a brincar sozinho.

E as crianças falavam:

- Nossa como você é engraçado! Vou falar com minha mãe pra te chamar no dia do meu aniversário.

E as outras falavam:

- Eu também!

- Eu também!

E Rafael não aguentou e foi sentar próximo das demais crianças. Pensando:

- O que esse palhaço realmente tem de bom?

E Zezé percebendo a presença do aniversariante com as demais crianças caprichou em uma bela mágica, em um belo malabarismo e deixou para o fim a sua melhor piada. Ao terminar, todas as crianças estavam rindo muito, olhou para Rafael e qual não foi sua surpresa, quando o viu rindo muito, rindo demais!

E foi a partir daí que as apresentações de Zezé realmente começaram, pois seu objetivo havia sido alcançado, ele tinha feito Rafael sorrir... E ele não parou mais, pois a cada piada, a cada mágica o garoto ria mais!

A mãe de Rafael não acreditou do que via e quando as apresentações terminaram foi conversar com Zezé para saber qual era o mistério, qual foi o segredo para que ele tivesse feito com que Rafael assistisse suas apresentações.

E Zezé falou:

- O segredo foi deixá-lo livre... Não cobrei nada dele e nem o forcei a me assistir.
E por ele estar livre, sentiu curiosidade e vontade de sentar junto aos demais colegas, assistiu e gostou muito de tudo. O que devemos ter sempre é muita paciência com nossas crianças, quando se tem paciência conseguimos TUDO!

- E realmente você conseguiu.

A festa estava terminando e o palhacinho Zezé despediu-se de todos e foi embora. Rafael olhou para sua mãe e falou:

- Mamãe, próximo ano quero o palhaço Zezé aqui de novo, pode ser? Ele é bom demais...

- Claro que pode filho!


MINÉIA PACHECO!

Hoje é Dia do Médico e em comemoração deixo o link de uma história que fiz falando de um alegre médico. O título da história é DOUTOR ALEGRIA!
E a todos os médicos desejo... UM FELIZ DIA!

5 comentários:

  1. As mãoes, muitas vezes por ansiedade, seguram, travam seus pequenos...O palhaço o deixou livre... Linda história!um beijo,tudo de bom,chica e linda semana!

    ResponderExcluir
  2. OI MInéia,
    recebi o seu e-mail sim e vou retornar. Eu vou fazer o depósito para o livr. Quero muito recebê-lo logo.
    Mais uma história linda.
    beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Que história linda, Minéia! Vc tem o dom, e isso tem mesmo que ser mostrado, parabéns pelo livro!

    E obrigada por estar comigo e com Edu nesta luta, sempre com fé em Deus e esperanças!

    Deus está cuidando, eu acredito muito...
    Beijos da Amarela!

    ResponderExcluir
  4. adorei essa historinha,Minéia!

    Um beijo do neno

    ResponderExcluir

Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós.(Antoine de Saint-Exupéry)

...Agradeço a visita e o comentário!...

Volte sempre!

Beijinhos, Minéia Pacheco

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Contos para criança ler, ouvir e sonhar! © Desenvolvido por Elaine Gaspareto