Pepi o cãozinho!



Pepi o cãozinho!


Não adiantava, todas as vezes que a mãe de Carolzinha a chamava para comer, lá estava ao seu lado o cãozinho Pepi. A mãe de Carolzinha já havia feito várias coisas para que o Pepi saísse de perto dela, mas nada adiantava. Ele não a deixava comer em paz! E Carolzinha como tinha um grande coração não suportava ver seu lindo cãozinho perto de si pedindo comida, ela sempre compartilhava suas refeições com ele.

A mãe já não sabia mais o que fazer, queria que sua filha tivesse sua refeição tranquila sem a perturbação de Pepi ao seu lado da mesa. Mas como? Já havia tentado de tudo, o colocado preso com a coleira, colocando comida para ele também no canto da cozinha, o prendendo do lado de fora da casa, mas nada tinha resolvido o problema, ele sempre conseguia sair e corria para perto de Carolzinha.

Certo dia, a mãe de Carolzinha já cansada das perturbações de Pepi, o colocou no carro e o levou para o sítio da família que existia muito longe de onde moravam.
Carolzinha ficou muito triste, sentindo a falta do seu querido cãozinho, do outro lado Pepi também estava muito triste, não comia e não bebia nada.

O tempo passou e Pepi havia ficado muito doente e o dono do sítio ligou para a mãe de Carolzinha dizendo que ele não duraria muito tempo.

A mãe sentiu uma dor profunda em seu coração, e foi ao sítio com sua filha para trazer o cãozinho Pepi para casa novamente. Ao chegarem lá, o encontraram muito doentio e sem forças. Carolzinha ao vê-lo de longe correu em sua direção, deu-lhe um forte abraço e disse em seu ouvido:

- Vamos para casa, que tomarei conta de você!

E assim foram para casa...

Pepi era cuidado com muito carinho e amor, a pequena Carolzinha dedicava todo seu tempo ao amigo e em nenhum momento desistiu dele, dava todos os medicamentos passados pelo veterinário na hora certa, a alimentação era sempre dada no horário certo e com tanto cuidado assim só poderia dar em um resultado... A MELHORA DE PEPI!

Ele voltou a ser aquele cãozinho alegre, brincalhão e ficou mais grudado ainda na sua querida dona Carolzinha. A mãe não mais se importava com ele atrapalhando a refeição da filha, agora achava até graça, pois ela aprendeu que o que o Pepi sentia pela filha era amor, e nunca mais iria separá-los, já havia errado uma vez e não iria errar mais, NUNCA MAIS!


Minéia Pacheco

4 comentários:

  1. Que graça de conto Minéia. bjssssssssss

    ResponderExcluir
  2. Esse amor é muito forte mesmo entre eles e nós e as crianças...Lindo!

    Carolzinha fez muito bem!

    beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. Mineia,sempre uma história linda com uma lição de amor!O amor,a amizade realmente curam tudo!Adorei te ler!Bjs,

    ResponderExcluir
  4. uaaaaaaaaaaaau, você quem faz esses desenhos, ou já pega pronto?



    Bruna, dona do projeto.

    ResponderExcluir

Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós.(Antoine de Saint-Exupéry)

...Agradeço a visita e o comentário!...

Volte sempre!

Beijinhos, Minéia Pacheco

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Contos para criança ler, ouvir e sonhar! © Desenvolvido por Elaine Gaspareto