• 11
    JUN

    O PRIMEIRO AMOR DE PEDRINHO!




     
     
    Pedrinho andava distraído, pensativo, rindo à toa. Passava horas observando o céu, as estrelas e o brilho da lua. Brincava com as borboletas do jardim, parecia que vivia em outro mundo. Não queria mais saber dos vídeos games, computadores e nem do futebol com os amigos.
     
    Algo diferente estava acontecendo com ele!
     
    Quando se aproximava das cinco da tarde, Pedrinho largava tudo que estava fazendo e corria para a calçada da sua casa. Só para poder ver um grupo de meninas que sempre passava por lá naquele mesmo horário. Ficava lá esperando...  Quanto mais o tempo se aproxima, mais ele ficava eufórico e com o coração agitado!  
     
    Dentre as meninas do grupo, tinha uma em especial que sempre falava:
     
    - Oi Pedrinho!
     
    E ele respondia:
     
    - Oi Renatinha!
     
    E depois desse pequeno diálogo Pedrinho ficava lá, sentado na calçada, com o coração agitado e as pernas bambas a vendo ir. E com um leve suspiro falava:
     
    - Como ela é linda!
     
    Pedrinho ficava todo bobo em poder trocar um simples “oi” com aquela menina. Depois de vê-la, ele corria para casa e torcia para que as horas passassem rápido, que o dia seguinte chegasse logo, para poder vê-la novamente e novamente poder falar “oi”.
     
    Ficava na janela do quarto pensando nela e perdia a noção do tempo...
     
    Tinha certeza de que ela era seu primeiro amor, pois nunca havia sentido isso antes por ninguém.
     
    Até quando essa “paixonite” iria durar? Ele não sabia e nem queria saber, queria curtir seu primeiro amor, queria poder sentir seu coração acelerar e as pernas bambas ficar, o primeiro amor é algo mágico!
     
    E no dia seguinte à s cinco da tarde, lá estava Pedrinho sentado na calçada da sua casa esperando Renatinha passar:
     
    - Oi Pedrinho!
     
    - Oi Renatinha!
     
    E quanto ela passava, ele dava um leve suspiro e entrava.
     
     
    Autora Minéia Pacheco
     

    Avatar








    MINÉIA PACHECO
    Escritora



  • ANUNCIE AQUI




    PARA PENSAR

    Ah, como é importante para a formação de qualquer criança ouvir muitas, muitas histórias... Escutá-las é o início da aprendizagem para ser um leitor, e ser leitor é ter um caminho absolutamente infinito de descoberta e de compreensão do mundo...
    (Fanny Abramovich)





    Copiar essas ideias sem a permissão do autor é crime, pois isso configura uma forma de roubo e roubar ideias é plágio, e plágio é crime. Art. 184 – Código Penal

    © Copyright 2017 - Minéia pacheco. Todos os direitos reservados. O conteúdo deste site não pode ser reproduzido, distribuído, transmitido, ou usado, exceto com a permissão prévia por escritor.