Amizade, como explicar?


Quem diria que entre tantos seres que existem no fundo do mar, uma baleia iria ficar amiga justamente de um minúsculo peixinho. Quer saber como essa grande amizade começou? Então preste muita atenção no que vou te contar!

A baleia Teia estava nadando normalmente nas profundezas do mar, quando ouviu uns gritos fininhos, vindo de algum lugar perto dali. Quanto mais ela nadava, mais os gritos ficavam fortes. Teia tentou seguir o barulho, mas estava muito difícil, quase impossível, saber de onde vinham. Se fosse outro ser aquático já teria desistido, mas Teia não era de desistir tão fácil e não sossegou enquanto não descobriu de onde vinham os gritos fininhos.

Nadou, nadou... Tinha horas que os gritos ficavam mais fortes e depois enfraquecia, percebia algumas vezes que os gritos estavam próximos e outros, longe. Passou a olhar as plantas aquáticas com mais cuidado, com mais atenção, até que, em uma das plantas aquáticas, ela observou um pequenino peixinho com uma das nadadeiras presa nas algas, sem poder se mover, sem poder nadar. O pequeno peixinho já estava fraquinho de tanto gritar.

- Que bom que enfim alguém me achou, você pode me soltar daqui? – Falou Juca, o peixinho.

- Claro que sim, foi difícil te encontrar, mas estou muito feliz por que meu esforço e perseverança valeram a pena, te achei e vou te salvar!

- Não sei o que seria de mim se não fosse você. Será que posso te chamar de amiga?

- Claro que sim, ficaria muito feliz em ter um amigo como você!

Então a baleia Teia mordeu a alga para o peixinho Juca poder se soltar, quando mordeu e enfim ele se livrou, Teia sentiu que algo ficou preso entre seus enormes dentes e começou a sentir muita dor. Juca logo falou:

- Teia me deixa entrar na sua boca e saber o que aconteceu?

Teia sentia tanta dor, que nem conseguiu falar, apenas abriu a boca e Juca como era muito corajoso, entrou. 

E dentro da boca dela ele procurou e encontrou o problema...

- Teia, tem uma alga entre seus dentes, deve ser isto que esteja causando toda essa dor, vou tirar...

E com muito esforço, Juca tirou a alga que estava entre os dentes dela. Imediatamente ela sentiu um grande alívio e ficou muito feliz por ver que seu novo amigo, apesar de tão pequenino, pôde ajuda-la.

- Obrigada Juca, você é um amigo maravilhoso.

- Sabe Teia, acho melhor de hoje em diante nunca mais nos separarmos, pois percebo que apesar da diferença de tamanho, somos perfeitos um para o outro.

- Concordo com você Juca, de hoje em diante seremos inseparáveis meu amigo.

E foi desse jeitinho que a amizade nasceu entre eles, eram diferentes, mas completavam um ao outro. E uma amizade verdadeira é inexplicável, ela simplesmente acontece...



6 comentários:

  1. As amizades são assim mesmo.Se instalam e acontecem,sem explicação.LINDA!! Sempre!! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Minéia!
    Gosto muito de seus contos que sempre transmitem ótimas mensagens.
    Parabéns.
    um ótimo fim de semana para ti.
    abração com carinho

    ResponderExcluir
  3. Olá Minéia, muito corajoso o peixinho Juca!Que bom surgiu uma bela amizade!
    Minéia, tem um selinho Prêmio Dardos, no blog da minha avó para você! Sinta-se a vontade para pegar!
    Com carinho
    Pedro e Amara
    http://adoraveisselinhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. eu achei a hestorias legais

    ResponderExcluir
  5. Eu gostei muito desta história porque foi no fundo do mar que amiguinhos se conheceram um ao outro e nunca mais se separaram, ficaram sempre juntos!


    Eu gostei muito da história no fundo do mar!

    ResponderExcluir

Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós.(Antoine de Saint-Exupéry)

...Agradeço a visita e o comentário!...

Volte sempre!

Beijinhos, Minéia Pacheco

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Contos para criança ler, ouvir e sonhar! © Desenvolvido por Elaine Gaspareto