• 17
    NOV

    GIRAFA GERALDA!





    Girafa Geralda!

    Geralda, a girafa, já não aguentava mais viver no zoológico de sua cidade, todos os dias eram as mesmas coisas, as mesmas pessoas, as mesmas comidas e queria algo diferente para sua vida. Então resolveu fugir do zoológico!

    - Mas por que você quer fugir? – perguntou-lhe o macaco.

    - Não aguento mais viver aqui, quero algo diferente para minha vida.

    - Você está pensando que a vida fora do zoológico é fácil?

    - Estou!

    - Mas não é! Aqui você tem sua alimentação na hora certa, aqui você tem quem limpe seu espaço, aqui você tem um veterinário para cuidar de você quando está doente.

    - É disso que quero fugir! Vou embora, já estou decidida! Espero que você não espalhe que vou embora para todos os animais do zoológico.

    - Não falarei para ninguém...

    Geralda afastou da cerca, correu o máximo que pôde e com um impulso a pulou! Estava livre, era independente agora, dona do seu próprio nariz.

    Procurou a saída do zoológico e logo encontrou, foi andando admirando as paisagens das ruas, os outdoors, os carros, os ônibus, coisas que ela nunca havia visto antes. Tentou atravessar a rua e escutou um forte som:

    - Biiiiiiiiiiiiiiiii!!!!

    Quase que um carro passa por cima dela, então ela pensou:

    - Da próxima vez terei mais cuidado.

    Já era tarde da noite, não havia muitas pessoas pelas ruas e as poucas que tinham quando a viam começavam a gritar e a correr para bem longe dela. E pensou:

    - Nossa, como as pessoas são estranhas, vão sempre ao zoológico para me ver, agora que estou aqui livre e podem me ver a vontade, correm de mim.

    Sentiu fome, tentou achar algo para comer, encontrou um pedaço de cachorro-quente no chão e comeu.

    - Hum, que delícia! – Pensou. Agora quero algo para beber!

    Andou mais um pouco e encontrou uma latinha de refrigerante, bebeu.

    - Agora sim, posso caminhar mais animada de barriga cheia.

    Depois de muito andar, sentiu um forte cansaço e procurou algum lugar para descansar, já era muito tarde da noite e estava sentindo muito frio também. Andou, andou, e nenhum lugar encontrou. Sua barriga começava a doer, continuou a andar, mas a dor aumentou muito e ela caiu ali mesmo, no meio da rua.

    Algumas pessoas ao passarem por ali viram a girafa caída e ligaram para o zoológico, que ao saber, imediatamente foram resgatá-la. Geralda recebeu todos os cuidados necessários e então a colocaram em seu lugar no zoológico.

    No outro dia, ela acordou um pouco zonza ainda e sem entender direito o que lhe havia acontecido, foi então que o amigo macaco lhe explicou tudo:

    - Geralda, você desmaiou no meio da rua e a equipe do zoológico foi te resgatar e lhe trouxeram de volta.

    - Lembro que estava muito cansada e com uma forte dor de barriga.

    - Os veterinários falaram que você havia comido muita besteira pela rua e por isso passou mal.

    - Nossa, amigo macaco, a vida lá fora não é fácil.

    - Eu te falei.

    - Eu sei, peço desculpas por não ter dado atenção, não quero fugir nunca mais, não há lugar melhor do que a nossa casa.

    - Que bom te ver de volta amiga Girafa.

    - Como é bom estar de volta amigo macaco.

    E nunca mais a Girafa Geralda desejou fugir, ali ela tinha tudo do bom e do melhor, lugar assim, era muito difícil de existir!

    MINÉIA PACHECO

    Avatar





    • Uma grande lição nessa historinha.Quantas vezes achamos que melhor p nós está do outro lado da cerca, né?
      Beijo grande, querida!

      RESPOSTA





    • uma gracinha seu blog estou te seguindo

      RESPOSTA





    • inpossivel não se encantar ao passar aqui.
      Só poaao parabenizar este teu blog sempre.

      RESPOSTA





    • Sofia diz: Adorei a historinha!
      Foi muito legal.
      Minha parte preferida foi quando ela via as pessoas pela rua, e descobria as novidades!
      Um beijo Minéia.

      Ass;Sofia!

      Mi, amamos sua historia!
      A So disse ter sido a preferida!

      Bjão

      RESPOSTA





    • A LEticia tem uma girafinha e gosta dela, tomara que goste da história tbm.
      Obrigada pela visita sempre muito bem vinda.
      Bjs e td de bom.

      RESPOSTA





    • Mineia,que beleza de conto!Amei essa girafinha!Suas histórias estão cada vez mais criativas e bonitas!Veja no Recanto dos autores seu livro virando a página.Bjs,

      RESPOSTA





    • Adoro girafas!! E a Girafa Geralda levou um belo susto!! Ainda bem que o Zoo foi resgatá-la e ela agora está segura!!
      Isso é um bom ensinamento!!
      Beijinhos

      RESPOSTA





    • Oi Minéia,é verdade , no livro
      AS TRÊS PERGUNTAS DO REI
      o leão que era o rei tinha três perguntas.
      A primeira era qual é o lugar mais importante do mundo ?
      A resposta é o lugar que você está .
      A segunda é qual é a tarefa mais importante do mundo ?
      A resposta é a que prescisa ser feita no momento .
      E a terceira é qual é a criatura mais importante do mundo?
      A resposta é a que prescisa de você no momento .
      Adorei bjs Neno...

      RESPOSTA





    • D.Geralda enfim se deu conta de tudo que tinha...Linda história,Minéia!

      um beijo,tudo de bom,chica

      RESPOSTA





    • Oi Minéia,
      estou aqui pegando historinhas para ler para Sofia dormir.
      Hoje vai ser essa da Girafa Geralda.
      Muito obrigada por compartilhar conosco suas belas histórias.
      beijos
      Chris
      http://inventandocomamamae.blogspot.com/

      RESPOSTA








    MINÉIA PACHECO
    Escritora



  • ANUNCIE AQUI




    PARA PENSAR

    Ah, como é importante para a formação de qualquer criança ouvir muitas, muitas histórias... Escutá-las é o início da aprendizagem para ser um leitor, e ser leitor é ter um caminho absolutamente infinito de descoberta e de compreensão do mundo...
    (Fanny Abramovich)





    Copiar essas ideias sem a permissão do autor é crime, pois isso configura uma forma de roubo e roubar ideias é plágio, e plágio é crime. Art. 184 – Código Penal

    © Copyright 2017 - Minéia pacheco. Todos os direitos reservados. O conteúdo deste site não pode ser reproduzido, distribuído, transmitido, ou usado, exceto com a permissão prévia por escritor.